CHAMADA DE ARTIGOS - História. Revista da FLUP - N. 10. (2)

História – Revista da FLUP. Número monográfico (2º semestre de 2020)

DATA LIMITE DE SUBMISSÕES – 5 DE OUTUBRO DE 2020 

SOLICITAÇÃO DE COLABORAÇÃO

 

“Liberalismo e Revolução Liberal de 1820. Novas interpretações”

COORDENADOR: Jorge Martins Ribeiro

A História – Revista da FLUP dedica o dossiê temático do seu segundo semestre do ano de 2020 ao tema do Liberalismo e da Revolução Liberal de 1820. Neste ano de 2020, passam 200 anos sobre a primeira revolução liberal portuguesa, que teve lugar, na cidade do Porto, a 24 de agosto do ano de 1820, onde ocorreu um pronunciamento militar, que esteve na origem do regime liberal em Portugal, o qual apenas triunfa totalmente em meados do século.

Dois séculos depois, quando o país se preparava para evocar, em múltiplas manifestações públicas, o movimento que está na origem das atuais democracias representativas, uma ameaça inesperada (o Covid-19) vem lançar Portugal, mas também o mundo numa nova crise. Numa altura em que as sociedades democráticas e a tolerância, tão caras a John Locke, são postas à prova nos vários continentes, e a democracia, sob todos os aspetos, é chamada a reinventar-se, para sobreviver, com os direitos fundamentais do ser humano, em perigo, embora bem plasmados na Declaração dos Direitos Humanos (ONU, 1948), impõe-se uma reflexão histórica, sobre o passado.

Apesar do muito que se escreveu e publicou sobre este tema, é necessária uma interpretação à luz das correntes historiográficas atuais, pelo que, o dossiê deste número apela à submissão de artigos:

- que reflitam não só sobre o liberalismo português, “inaugurado” em 1820, mas também sobre o liberalismo em geral, na Europa e no mundo;

- que avaliem os impactos do regime liberal a nível da administração local e como as respetivas elites se adaptaram ao novo modelo de representatividade social;

- que monitorize as alterações económicas e financeiras do Estado e dos setores funcionais de então;

- que avalie os impactos da extinção das ordens religiosas e a clivagem religiosa na Monarquia Liberal;

- ou ainda, como a revolução liberal foi percebida e interpretada no seu centenário ou mesmo bicentenário comemorativo.