O poder do discurso: emoções no quadro de uma consulta referendária

Isabel Fuzeta Gil

Resumo


As emoções permeiam a atividade argumentativa, suscitando nos últimos anos renovado interesse por parte das modernas teorias da argumentação. Destacaremos algumas estratégias de “patemização” (Charaudeau, 2000; Plantin, 2000, 2002, 2011; Micheli, 2007, 2008a, 2008b, 2010) delineadas com vista a agir sobre um Outro; nesta dimensão discursiva de um FAZER FAZER,
interessa-nos descrever os modos de semiotização das emoções, assinalando ainda que as emoções são elas próprias constituídas em objetos de discurso e passíveis de serem argumentadas. A partir de exemplos de um corpus de textos de opinião publicados na imprensa antes de uma consulta referendária, a qual potenciou momentos fortemente agónicos, dar-se-á particular enfoque
às dimensões enunciativo-pragmática e configuracional dos discursos, salientando a estruturação argumentativa e o modo como as emoções são mobilizadas, convocando outras vozes e outros discursos no exercício da influência através da palavra.


Texto Completo:

PDF

Apontadores

  • Não há apontadores.


 

 Todos os textos publicados se encontram protegidos pela Licença Creative Commons Attribution-NonCommercial (cc-by-nc), que permite a partilha dos mesmos, para fins não comerciais, com atribuição da autoria e publicação inicial nesta revista.

 

LISTA DAS REVISTAS