https://ojs.letras.up.pt/index.php/CITCEM/issue/feed CEM Cultura, Espaço & Memória 2022-01-17T13:12:47+00:00 Amélia Polónia asilva@letras.up.pt Open Journal Systems <p><a href="http://flup008/index.php/index/admin/contexts//index.php/CITCEM" target="_blank" rel="noopener"><img src="http://flup008/index.php/index/admin/contexts//ojs/public/site/images/mselas/capa_Cem.png" alt="" align="left" /></a>Editada pelo CITCEM - Centro de Investigação Transdisciplinar «Cultura, Espaço e Memória», a revista CEM / Cultura, Espaço &amp; Memória é uma publicação científica com periodicidade anual, cuja edição digital respeita integralmente os critérios da política do acesso livre à informação.</p> https://ojs.letras.up.pt/index.php/CITCEM/article/view/11215 Cagle, Hugh (2018). Assembling the Tropics: science and medicine in Portugal’s empire, 1450-1700. New York; Cambridge: Cambridge University Press 2022-01-17T12:45:25+00:00 Rita Királyfy asilva@letras.up.pt <p>.</p> 2022-01-17T00:00:00+00:00 Direitos de Autor (c) 2022 CEM Cultura, Espaço & Memória https://ojs.letras.up.pt/index.php/CITCEM/article/view/11216 Brites, Joana; Correia, Luís Miguel, coord. (2020). Obras públicas no Estado Novo. Coimbra: Imprensa da Universidade de Coimbra. 426 p., Il. ISBN digital 978-989-26-1894-4 2022-01-17T12:52:39+00:00 Paulo Almeida asilva@letras.up.pt <p>.</p> 2022-01-17T00:00:00+00:00 Direitos de Autor (c) 2022 CEM Cultura, Espaço & Memória https://ojs.letras.up.pt/index.php/CITCEM/article/view/11217 «A educação não é nem oriental nem ocidental. A educação é a educação e é o direito de cada ser humano». Assembleia Geral da ONU, julho de 2013. Malala Yousafzai 2022-01-17T12:57:28+00:00 Daniele S. Lizier asilva@letras.up.pt <p>.</p> 2022-01-17T00:00:00+00:00 Direitos de Autor (c) 2022 CEM Cultura, Espaço & Memória https://ojs.letras.up.pt/index.php/CITCEM/article/view/11198 Editorial 2022-01-17T10:47:32+00:00 Amélia Polónia asilva@letras.up.pt <p>.</p> 2022-01-17T00:00:00+00:00 Direitos de Autor (c) 2022 CEM Cultura, Espaço & Memória https://ojs.letras.up.pt/index.php/CITCEM/article/view/11218 Número completo 2022-01-17T13:01:33+00:00 CEM asilva@letras.up.pt <p>.</p> 2022-01-17T00:00:00+00:00 Direitos de Autor (c) 2022 CEM Cultura, Espaço & Memória https://ojs.letras.up.pt/index.php/CITCEM/article/view/11199 «Dinâmicas da População e da Família» 2022-01-17T10:51:42+00:00 Jorge Fernandes Alves asilva@letras.up.pt Antero Ferreira asilva@letras.up.pt <p>.</p> 2022-01-17T00:00:00+00:00 Direitos de Autor (c) 2022 CEM Cultura, Espaço & Memória https://ojs.letras.up.pt/index.php/CITCEM/article/view/11209 «Encenar a nação» — a diplomacia cultural do Estado Novo português através dos Centros de Informações de Genebra e Roma 2022-01-17T12:19:39+00:00 Carla Ribeiro asilva@letras.up.pt <p>Este artigo aborda os esforços da diplomacia cultural portuguesa no estrangeiro, no período pós-II Guerra Mundial. Baseando-se na noção de soft power teorizada por Joseph Nye, a investigação centra-se nos primeiros Centros de Informação Portugueses, em Genebra e Roma, criados pelo ministro português nestas cidades, António Ferro. Recorrendo sobretudo a fontes documentais inéditas do fundo do Secretariado Nacional de Informação, procurou-se elucidar sobre a sua orgânica, a sua relação com o poder central, bem como examinar as actividades desenvolvidas e os resultados alcançados. Assumiu-se como hipótese de trabalho que os Centros funcionaram numa lógica de defesa do país, parte de uma estratégia para «seduzir» uma Europa democratizada do pós-guerra, face ao regime ditatorial do Estado Novo, que persistia em manter um Império Colonial.</p> 2022-01-17T00:00:00+00:00 Direitos de Autor (c) 2022 CEM Cultura, Espaço & Memória https://ojs.letras.up.pt/index.php/CITCEM/article/view/11210 A crise do abastecimento português (1914-1918) — os impactos sociais e económicos da guerra submarina alemã 2022-01-17T12:23:23+00:00 Miguel Castro Brandão asilva@letras.up.pt <p>Segundo os nossos cálculos, mais de duas centenas de navios foram afundados pela arma submarina alemã ao largo da costa portuguesa durante a Primeira Guerra Mundial. Nos últimos anos a historiografia produziu várias páginas sobre a operacionalidade da guerra submarina alemã, porém a mesma desconhece os impactos sociais e económicos provocados pelo seu raio de ação. Tendo em conta os últimos progressos científicos, propomos novas problemáticas em torno desta temática com base num estudo correlativo que visa apurar os impactos diretos e indiretos da arma submarina alemã na sociedade e na economia portuguesas aquando da Grande Guerra.</p> 2022-01-17T00:00:00+00:00 Direitos de Autor (c) 2022 CEM Cultura, Espaço & Memória https://ojs.letras.up.pt/index.php/CITCEM/article/view/11211 O jogo do pau em Bucos através de narrativas orais: 2022-01-17T12:26:51+00:00 Lídia Aguiar asilva@letras.up.pt <p>Neste artigo aborda-se o tradicional jogo do pau, praticado na freguesia de Bucos, concelho de Cabeceiras de Basto. Este jogo, de raiz popular e cariz fortemente nortenho, teve origem numa sociedade eminentemente rural, como arte de defesa e ataque, sendo preservado por dinâmicas familiares e sociais enquanto maestria mantida durante gerações. Subsiste em Bucos a possibilidade de recuperar memórias individuais e de famílias recuando aos anos 40 do século XX, apesar da forte desertificação populacional, fruto de sucessivas vagas migratórias. Foi possível verificar-se, em trabalho empírico, que as memórias de mestres e aprendizes do jogo do pau se mantiveram através de estratégias de união e transmissão familiar. Pretende-se, então, observar a importância desta tradição, património cultural intangível, ao nível dos indivíduos seus praticantes e relação com as dinâmicas familiares de Bucos, e qual o seu contributo para a respetiva salvaguarda sociocultural.</p> 2022-01-17T00:00:00+00:00 Direitos de Autor (c) 2022 CEM Cultura, Espaço & Memória https://ojs.letras.up.pt/index.php/CITCEM/article/view/11212 O Douro Superior, da produção cerealífera à vinhateira: 2022-01-17T12:32:22+00:00 Carla Sequeira asilva@letras.up.pt Otília Lage asilva@letras.up.pt <p>Este artigo centra-se na afirmação e sustentabilidade da vinha e do vinho, em articulação com a cerealicultura, no território do Douro Superior, e segue como linhas de análise três fases da sua evolução vinhateira: a primeira, embrionária e de reduzida expressão comercial, anterior à filoxera; a segunda, de lenta mas progressiva afirmação, do último quartel do século XIX às demarcações de 1907-1908, com o reconhecimento institucional do alargamento da Região Demarcada do Douro até à fronteira com Espanha; a terceira, ocorrida no decurso do século XX, que corresponde ao desenvolvimento e consolidação vitivinícola desta sub-região, hoje produtora de vinho do Porto e vinhos DOC de elevada qualidade. Integra-se num vasto campo de pesquisa sobre o processo de transformações do espaço regional duriense1, a expansão do vinhedo com diferenças intra-regionais e as alterações económicas e institucionais no sector do vinho do Porto, no decurso do arco temporal considerado.</p> 2022-01-17T00:00:00+00:00 Direitos de Autor (c) 2022 CEM Cultura, Espaço & Memória https://ojs.letras.up.pt/index.php/CITCEM/article/view/11213 La recuperación del patrimonio arqueológico del Sahara Occidental y la emergencia de las bases del conocimiento científico del pasado 2022-01-17T12:36:21+00:00 Andoni Sáenz de Buruaga asilva@letras.up.pt <p>La compleja coyuntura geopolítica que envuelve al Sahara Occidental tiene una grave incidencia en la situación de desamparo y desprotección del patrimonio arqueológico. Desde 2005, desarrollamos un proyecto de investigación y cooperación cultural en los territorios que gestionan las autoridades de la República Árabe Saharaui Democrática: en concreto, en la región de Tiris, en el extremo SE del territorio. La aportación al conocimiento científico del pasado del Sahara Occidental está resultando altamente satisfactoria: (1) por el importante efectivo de yacimientos y manifestaciones arqueológicas registradas; (2) por el avance sustancial experimentado en los procesos de ocupación del territorio en conexión con las dinámicas climáticas y medioambientales; y, (3) por las informaciones aportadas por la excavación de monumentos líticos. Así mismo, la experiencia ha puesto en evidencia las adversidades y peligros que circundan a estas expresiones del pasado, e impulsa un debate urgente sobre su situación de alto riesgo.</p> 2022-01-17T00:00:00+00:00 Direitos de Autor (c) 2022 CEM Cultura, Espaço & Memória https://ojs.letras.up.pt/index.php/CITCEM/article/view/11214 A organização do fundo Gavetas da Torre do Tombo: 2022-01-17T12:39:55+00:00 Joana Lencart asilva@letras.up.pt <p>A Torre do Tombo é o maior arquivo português. O seu espólio, custodiado inicialmente na torre albarrã do castelo de São Jorge em Lisboa, foi sendo dilatado ao longo dos séculos, não obstante os incidentes históricos e naturais que cercearam o seu inestimável património em certas épocas da nossa história. Uma das mais amplas coleções do arquivo nacional diz respeito ao fundo Gavetas, composto por milhares de documentos desde o século XII até à atualidade. Este trabalho pretende fazer um ponto de situação sobre a produção bibliográfica relativa a esta coleção das Gavetas do arquivo nacional, de modo a sistematizar a informação compilada que poderá servir para futuros trabalhos de caráter histórico e historiográfico.</p> 2022-01-17T00:00:00+00:00 Direitos de Autor (c) 2022 CEM Cultura, Espaço & Memória https://ojs.letras.up.pt/index.php/CITCEM/article/view/11200 Trajetórias de vida. Nascer nos Açores no século XVIII. 2022-01-17T10:57:30+00:00 Maria Norberta Amorim asilva@letras.up.pt <p>A investigação demográfica sobre o século XVIII reveste-se em Portugal de grandes dificuldades, principalmente pelo sub-registo de óbitos de menores de 7 anos. No caso de registo sistemático dos eventos paroquiais, o acompanhamento de trajetórias de vida em espaços e períodos definidos permite-nos a aproximação mais conseguida ao jogo das variáveis demográficas e compreensão dos seus efeitos no crescimento das populações. Os Açores, pela diversidade de comportamentos, mesmo entre ilhas próximas, constituem um extraordinário laboratório de análise para o historiador demógrafo. Num quadro de fecundidade próxima da natural, importantes comportamentos compensatórios a uma esperança de vida elevada, como a emigração e idades elevadas ao primeiro casamento, ou mesmo gravosas mortalidades de crise, podem não ser suficientes entraves ao crescimento.</p> 2022-01-17T00:00:00+00:00 Direitos de Autor (c) 2022 CEM Cultura, Espaço & Memória https://ojs.letras.up.pt/index.php/CITCEM/article/view/11201 A consolidação das fronteiras na América Portuguesa: 2022-01-17T11:04:03+00:00 Carlos Eduardo Nicolette asilva@letras.up.pt <p>As áreas limítrofes da América Portuguesa estiveram em movimento durante toda a colônia, como ocorrido no processo de corrida ao ouro das Minas Gerais. Contudo, após a revolução de escravos em Saint-Domingue, em 1791, e o consequente aumento nos preços do açúcar nos mercados internacionais, houve um fluxo migratório intenso para regiões, até então, ermas da colônia. Foi nesse quadro histórico que Campinas, interior de São Paulo, viu sua população livre aumentar mais de cinco vezes e a escrava, dez. O presente artigo objetiva investigar a migração dos produtores de açúcar para Campinas e compreender de quais maneiras as origens desses indivíduos explicam a formação desse complexo açucareiro. Nesse sentido, encontrou-se uma migração considerável de filhos da elite colonial, especialmente nascidos em Itu e Minas Gerais.</p> 2022-01-17T00:00:00+00:00 Direitos de Autor (c) 2022 CEM Cultura, Espaço & Memória https://ojs.letras.up.pt/index.php/CITCEM/article/view/11202 O morrer e o germinar: 2022-01-17T11:08:38+00:00 Fernando Donato Vasconcelos asilva@letras.up.pt <p>O artigo explora os registos de óbito civis e paroquiais e analisa as circunstâncias da formação do distrito de Beija-Flor, que passou a ser denominado Bela Flor a partir de 1895, o qual deu origem à vila de Guanambi, no sertão da Bahia. Além das causas de morte, investiga aspectos relacionados à condição socioeconômica, ausência de assistência médica, analfabetismo, política local, gênero e etnia. Verifica a extensão do distrito, identificando 71 locais de morte. A elevada ocorrência de óbitos maternos, tétano neonatal, tuberculose e infecções em geral, inclusive surtos epidêmicos em 1892 e 1896, assim como o elevado número de óbitos de menores de 50 anos, refletem as precárias condições sanitárias vividas entre 1891 e 1913.</p> 2022-01-17T00:00:00+00:00 Direitos de Autor (c) 2022 CEM Cultura, Espaço & Memória https://ojs.letras.up.pt/index.php/CITCEM/article/view/11203 Padrões de casamento semanal. 2022-01-17T11:21:21+00:00 Milene dos Anjos Fernandes asilva@letras.up.pt <p>Este artigo analisa a evolução da distribuição semanal dos casamentos ao longo de pouco mais de 250 anos no concelho de Fafe, localizado no norte de Portugal, assente em uma amostra de microdados composta por 26 841 datas de casamento que permitem observar o padrão semanal dos matrimónios do concelho minhoto, estabelecendo uma relação com indicadores diferenciais: comportamentos demográficos e socioeconómicos dos nubentes, entre 1650 e 1905. Os resultados evidenciaram tendências em função das características dos nubentes. Ao longo de mais de dois séculos, verificou-se uma predominância de atos ao domingo e à segunda. No entanto, esses resultados não abrangem todos os indivíduos, já que as conceções pré-maritais e indicadores socioprofissionais influenciaram a seleção do dia para casar.</p> 2022-01-17T00:00:00+00:00 Direitos de Autor (c) 2022 CEM Cultura, Espaço & Memória https://ojs.letras.up.pt/index.php/CITCEM/article/view/11204 Os registos paroquiais como fonte para o estudo da indústria de mobiliário em Valbom, Gondomar (1860-1911) 2022-01-17T11:28:43+00:00 Cecília dos Santos Cardoso asilva@letras.up.pt <p>Este artigo debruça-se sobre o estudo da indústria do mobiliário na antiga freguesia de Valbom (Gondomar), 1860-1911, tendo como base o levantamento e análise dos registos paroquiais. A indústria do mobiliário conheceu um significativo desenvolvimento neste período, abrangendo um elevado número de trabalhadores relacionados com as madeiras (entalhadores, marceneiros, torneiros, etc.). Os registos paroquiais constituem uma fonte fundamental para o conhecimento e evolução desta atividade. Pretende-se com este estudo demonstrar a importância desta fonte para o entendimento da génese e crescimento da indústria do mobiliário em Gondomar, que se converteu numa das mais importantes atividades económicas do concelho no século XX.</p> 2022-01-17T00:00:00+00:00 Direitos de Autor (c) 2022 CEM Cultura, Espaço & Memória https://ojs.letras.up.pt/index.php/CITCEM/article/view/11205 A pelagra em Portugal: 2022-01-17T11:34:56+00:00 Tânia Ferreira asilva@letras.up.pt <p>A melhoria das condições de vida nas últimas décadas, com reflexos numa alimentação mais diversificada e acessível às populações, permitiu erradicar algumas doenças originadas pela subnutrição, como é o caso da pelagra.<br>Afeção nutricional provocada por um défice de vitamina B3 (niacina), de graves complicações a nível dermatológico, gastrointestinal e mental, atingia sobretudo as populações mais desfavorecidas, cujo regime alimentar era baseado no consumo prolongado e quase exclusivo de milho, revestindo-se de um carácter endémico em diversos países europeus. Este artigo tem como objetivo realizar um enquadramento histórico e endemiológico do mal da rosa, e posteriormente avaliar os reflexos do conhecimento sobre a doença em Portugal no início do século XX.</p> 2022-01-17T00:00:00+00:00 Direitos de Autor (c) 2022 CEM Cultura, Espaço & Memória https://ojs.letras.up.pt/index.php/CITCEM/article/view/11206 A pandemia de influenza de 1889-1890 na região do Minho: 2022-01-17T12:02:21+00:00 Antero Ferreira asilva@letras.up.pt Célia Oliveira asilva@letras.up.pt Fátima Silva asilva@letras.up.pt Tânia Ferreira asilva@letras.up.pt <p>Entre 1889-1890, uma pandemia de influenza assolou o mundo, 30 anos antes da «gripe espanhola». Apesar da sua importância, não tem sido objeto de muita atenção, pela dificuldade de acesso a fontes estatísticas que possibilitem o seu estudo. Neste trabalho pretendemos analisar o impacto da pandemia de influenza, conhecida como «gripe russa», no concelho de Guimarães, com especial ênfase no ritmo da pandemia e nos níveis de mortalidade e morbilidade. Verificou-se que o desconhecimento sobre a etiologia da gripe explicou a ineficácia da atuação das autoridades, mas, apesar disso, constata-se que o impacto na mortalidade da influenza de 1889-1890 foi muito menor do que o da «gripe espanhola».</p> 2022-01-17T00:00:00+00:00 Direitos de Autor (c) 2022 CEM Cultura, Espaço & Memória https://ojs.letras.up.pt/index.php/CITCEM/article/view/11207 Efeito da temperatura na mortalidade por doenças cardiovasculares na província de Saragoça (Espanha), 1920-1950 2022-01-17T12:09:46+00:00 Milene dos Anjos Fernandes asilva@letras.up.pt Francisco J. Marco-Gracia asilva@letras.up.pt <p>A relação entre a saúde cardiovascular e as condições climáticas é uma questão central da pesquisa cardiológica enquadrada no desafio do aquecimento global. Este artigo estuda 15 localidades da Espanha rural no período 1920-1950. O objetivo principal é observar de que forma a temperatura influiu na mortalidade por causas cardiovasculares em um contexto histórico. A partir dos dados históricos sobre a causa da morte, idade, sexo, hora de óbito e temperatura, foi realizada uma análise usando estatísticas descritivas e regressões de mínimos quadrados ordinários para determinar os efeitos das temperaturas extremas na saúde cardiovascular. Os resultados mostram que a mortalidade por causas cardiovasculares concentrou-se nos dias mais quentes e frios do ano, bem como nos dias subsequentes, particularmente nos óbitos registados como doenças isquémicas do coração. Existe um padrão diferenciado de mortalidade horária entre verão e inverno, dependendo das horas mais quentes e mais frias do dia.</p> 2022-01-17T00:00:00+00:00 Direitos de Autor (c) 2022 CEM Cultura, Espaço & Memória https://ojs.letras.up.pt/index.php/CITCEM/article/view/11208 As afro-reparações e o impacto da covid-19 na população afrodescendente nas Américas (EUA e Brasil): 2022-01-17T12:15:47+00:00 Marta Fernandes da Silva asilva@letras.up.pt <p>Neste artigo refletimos sobre a causa basilar das exigências de afro-reparações, enfatizando aspetos do pós-abolição, moldado no ideário liberal oitocentista, que destacam a não integração da maioria dos ex-escravos nas sociedades dos EUA e do Brasil. Através de uma análise comparativa, damos visibilidade ao legado histórico coetaneamente vivenciado pelos afro-<br>descendentes naqueles países, selecionando para o efeito indicadores de desigualdades que brotam, em grande medida, do pós-abolição. Sequentemente, intentamos compreender como a elevadíssima mortalidade da população afrodescendente por covid-19, relacionando-a com aqueles indicadores, é projeção da era pós-escravidão, tornando inocultáveis desigualdades e, assim, reforçando a necessidade do debate sobre afro-reparações.</p> 2022-01-17T00:00:00+00:00 Direitos de Autor (c) 2022 CEM Cultura, Espaço & Memória