“Try seeing indians”

Auto, Hetero e Meta-imagens em A Passage to India

Autores

  • Inês Monteiro Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra

Palavras-chave:

Imagologia; Colonialismo; Pós-colonialismo; Raj Britânico; Representações nacionais

Resumo

O romance A Passage to India de E. M. Forster, publicado pela primeira vez em 1924, retrata as várias dinâmicas nas relações entre os membros do Raj Britânico na Índia e os membros da sociedade indiana sob governação colonial. Do início, são sublinhadas as diferenças entre os dois povos, colonizador e colonizado, sendo a desconstrução das imagens pré-concebidas constante durante a obra. Assim, empregando os conceitos da área da Imagologia de auto, hetero e meta-imagens, com particular enfoque nas definições oferecidas por Joep Leerssen destes mesmos conceitos, pretende-se reforçar a densidade do comentário social de Forster e dar uma nova perspetiva quanto à discutida classificação da obra enquanto texto apologista da estrutura colonial britânica do início do século XX.

Downloads

Publicado

2021-07-13

Edição

Secção

Artigos