“By some Dexterous Deference to The Spirit of the Age”

Woolf’s Staging of Othello Beheld Through Early Twentieth Century Racial Anxieties

Authors

  • Beatriz Simões

Abstract

Orlando, o romance de Virginia Woolf de 1928, tem sido analisado a dedo ao longo de um século, com um grande foco nas suas representações de género e na sua narrativa histórica fantástica. Escolhemos centrar a nossa pesquisa num momento particular, antes do exílio autoimposto pelo protagonista e da sua mudança de género, no qual ele e a sua amante, Sasha, escapam dos confinamentos da corte e deparam-se com uma encenação de Othello. Argumentamos que a escolha desta peça é relevante por vários motivos. Primeiramente, demonstra a dedicação de Woolf a referenciar o cânone literário e a ilustrar a relação imatura do protagonista com a literatura. Em segundo lugar, é importante por especificamente interagir com crítica literária do século dezanove, com crítica shakespeariana e com performance teatral e as suas ligações com a supremacia branca. Finalmente, é pertinente dada a centralidade do debate público sobre relações interraciais no início do século vinte, e na medida em que a personagem Othello simboliza um perigo para a decência britânica e para a manutenção de normas de relações heteropatriarcais.

Published

2023-12-13

How to Cite

Simões, B. (2023). “By some Dexterous Deference to The Spirit of the Age”: Woolf’s Staging of Othello Beheld Through Early Twentieth Century Racial Anxieties. Via Panoramica: Revista De Estudos Anglo-Americanos / A Journal of Anglo-American Studies, 12(2). Retrieved from https://ojs.letras.up.pt/index.php/VP/article/view/13697