Ética e mística em Nicolau de Cusa (1401-1464): uma assimilação do conceito de interioridade agostiniano

Autores

  • Klédson Tiago Alves de Souza
  • Maria Simone Nogueira

Resumo

No presente artigo procura-se explicitar uma reflexão ético-mística a partir da Filosofia de Nicolau de Cusa (1401-1464), refletindo também a influência das ideias de Agostinho de Hipona (354 – 430) que foi uma das fontes mais cara ao filósofo alemão. Desta forma, o percurso a ser desenvolvido concentrar-se-á na interioridade como processo ético e místico de melhoramento de si para se alcançar a felicidade.
Palavras-chave: Ética. Mística. Agostinho. Nicolau de Cusa. Interioridade.

DOI: https://doi.org/10.21747/civitas/8a6

Publicado

2021-08-04

Edição

Secção

Artigos