Agostinho: a inquietação como fonte

Autores

  • Silvia Contaldo

Resumo

Resumo: O propósito desse texto é fazer uma aproximação ente santo Agostinho (354-430) e Etty Hilessum (1914-1943), no que se refere à experiência mística.  À primeira vista pode parecer que entre um autor e outro há uma distância abissal. Certo. Agostinho viveu entre os séculos IV-V e assistiu a decadência do Império Romano.  Por sua vez, a jovem Etty Hilessum viveu no século XX – uma vida breve – mas suficiente para testemunhar os horrores de Auschwitz. O elo entre esses dois autores, portanto, é supratemporal e se dá pela busca da via mística, que ambos procuraram.  Etty, leitora de Agostinho, declara em seu Diário, reiteradas vezes, que o importante é a via da interiorização, a via de busca de si mesmo, no mais profundo de si .É o que importa em tempos  sombrios e obscuros, talvez para suportá-los com mais dignidade e lucidez. Agostinho, que vivera muitos séculos antes, também presenciou violências e iniquidades e a inquietação sempre foi a sua fonte. Fonte interior para onde se deve voltar. Não se trata de um ensimesmamento, um narcisismo às avessas, mas de um exercício espiritual, místico, à procura de um território interior, de recantos místicos cuja fonte é a inquietação e, ao mesmo tempo, fortalecimento de si.

Palavras-chave: Agostinho; Etty Hilessum; Inquietação; Mistica.

 

Abstract: The purpose of this text is to approach Saint Augustine (354-430) and Etty Hilessum (1914-1943), with regard to the mystical experience. At first glance it may seem that there is an abysmal distance between one author and another. Right. Augustine lived between the 4th and 5th centuries and witnessed the decline of the Roman Empire. In turn, young Etty Hilessum lived in the 20th century - a brief life - but enough to witness the horrors of Auschwitz. The link between these two authors, therefore, is supratemporal and occurs through the search for the mystical path, which both sought. Etty, a reader of Augustine, declares in his Diary, repeatedly, that what is important is the path of interiorization, the path of seeking oneself, in the depths of oneself. It is what matters in dark and obscure times, perhaps to endure them with more dignity and lucidity. Augustine, who had lived many centuries before, also saw violence and iniquity, and restlessness has always been his source. Indoor fountain to which to return. This is not a self-denial, an upside-down narcissism, but a spiritual, mystical exercise, looking for inner territory, mystical corners whose source is restlessness and, at the same time, strengthening oneself.

Keywords: Augustine; Etty Hilessum; Restlessness; Mística.

DOI: https://doi.org/10.21747/civitas/8a1

Publicado

2020-11-15

Edição

Secção

Artigos