https://ojs.letras.up.pt/index.php/taa/issue/feed Todas as Artes 2021-12-22T18:01:07+00:00 Paula Guerra todasartes.journal@gmail.com Open Journal Systems <p>Esta revista assume-se como um espaço de conhecimento, de investigação e de celebração das artes numa perspetiva da sociologia e dos estudos culturais. Com efeito, as artes impõem-se, cada vez mais, como referentes emblemáticos da contemporaneidade, fazendo-nos lembrar que Kant, na sua Estética, considerava já que os sentidos das artes dependiam da existência plural dos homens.</p> https://ojs.letras.up.pt/index.php/taa/article/view/11132 Volume completo 2021-12-22T18:01:07+00:00 Todas as Artes todasartes.journal@gmail.com <p>Volume completo</p> 2021-12-27T00:00:00+00:00 Direitos de Autor (c) 2021 Todas as Artes https://ojs.letras.up.pt/index.php/taa/article/view/11130 Recensão ao livro de António Damásio, A Estranha ordem das Coisas: a vida, os sentimentos e as culturas humanas 2021-12-22T17:55:11+00:00 Luís Carlos S. Branco todasartes.journal@gmail.com <p>Recensão ao livro de António Damásio, A Estranha ordem das Coisas: a vida, os sentimentos e as culturas humanas</p> 2021-12-27T00:00:00+00:00 Direitos de Autor (c) 2021 Todas as Artes https://ojs.letras.up.pt/index.php/taa/article/view/11123 Repensar a cultura DIY num contexto pós-industrial e global 2021-12-22T17:19:05+00:00 Andy Bennett todasartes.journal@gmail.com Paula Guerra todasartes.journal@gmail.com Ana Sofia Oliveira ana.s.s.oliveira@gmail.com <p>A partir de meados da década de 1970, a noção de cultura <em>do-it-yourself</em> (DIY) evoluiu de um <em>ethos </em>de resistência à indústria da música <em>mainstream</em>, centrado no <em>punk</em>, para uma estética mais amplamente endossada que sustenta uma vasta esfera de produção cultural alternativa. Embora não evitando preocupações contra-hegemónicas, esta transformação do DIY no que razoavelmente se poderia chamar uma "cultura alternativa" global também o viu evoluir para um nível de profissionalismo que visa assegurar a sustentabilidade cultural e, sempre que possível, económica.&nbsp; Este artigo examina a longevidade da estética cultural DIY e a sua evolução num contexto global, considerando como esse crescimento exponencial nas práticas DIY coloca novas questões sobre a natureza e prevalência da estética DIY, interrogando se é necessário reposicioná-la como um aspeto cada vez mais central da vida urbana contemporânea.</p> 2021-12-27T00:00:00+00:00 Direitos de Autor (c) 2021 Todas as Artes https://ojs.letras.up.pt/index.php/taa/article/view/11124 Arquétipos da pós-modernidade: Celebridades e capitalismo contemporâneo 2021-12-22T17:33:33+00:00 Roney Gusmão todasartes.journal@gmail.com <p>Interessa-nos entender o modo como celebridades contemporâneas expressam o tempo histórico ao qual chamamos de pós-moderno. Para proceder esta abordagem, utilizamos a cantora Madonna como arquétipo, para enfatizar como características da pós-modernidade são condensadas e expressas em sua carreira. Este texto é produto de pesquisas que desenvolvemos com intuito de salientar a difusão de ideologias pela imagem mítica das celebridades, ancorando-as dialeticamente ao contexto histórico recente.</p> 2021-12-27T00:00:00+00:00 Direitos de Autor (c) 2021 Todas as Artes https://ojs.letras.up.pt/index.php/taa/article/view/11125 António Variações: retrato do cantor enquanto jovem inserido na sua geração artística e nas respetivas problemáticas identitário-culturais 2021-12-22T17:37:00+00:00 Luís Carlos S. Branco todasartes.journal@gmail.com <p>Existe, de há uns anos a esta parte, um intenso<em> revival</em>, em vários setores, em torno de uma das luminárias da História do <em>Pop-Rock</em> Português; refiro-me a António Variações. Contudo, a esse renovado e merecido interesse nem sempre corresponde um conhecimento mais profundo da sua arte e do seu pensamento. Por vezes, o discurso em torno dele pauta-se por equívocos, mitos e por uma perspetiva, aqui e ali, anacrónica. No meu entender, este<em> performer </em>deve ser estudado, e entendido, inserido no quadro maior das problemáticas socioculturais com as quais se debatia a sua geração artística e que eram também, em grande medida, as dele. Como é evidente, as questões identitárias que então se colocavam não são as mesmas que se colocam hoje. Além disso, pouco se sabe sobre o seu percurso, enquanto jovem artista, antes de editar as suas canções. É sobre estes tópicos, e outros correlatos, que me debruçarei neste artigo.</p> 2021-12-27T00:00:00+00:00 Direitos de Autor (c) 2021 Todas as Artes https://ojs.letras.up.pt/index.php/taa/article/view/11126 A ‘coletivização’ das instituições de arte contemporânea 2021-12-22T17:40:09+00:00 Ana Carolina Freire Accorsi Miranda todasartes.journal@gmail.com <p>Este artigo realiza uma análise sociológica do processo de aproximação da arte contemporânea brasileira com iniciativas colaborativas. Para isso, parte-se dos estudos de caso das curadorias de duas instituições de arte localizadas na cidade do Rio de Janeiro: Museu de Arte do Rio e Centro Municipal de Arte Hélio Oiticica. O período delimitado para a coleta do material foi de 2013 a 2019. Buscou-se a partir dos seus discursos curatoriais entender as particularidades que ocasionaram no que é defendido em hipótese como a 'coletivização das instituições', processo que parece estar engendrado à institucionalização dos coletivos de artistas. Debruça-se sobre a trajetória de negociações e disputas ocorridas nos dois aparelhos culturais para que se tornassem ambientes frutíferos para o desenvolvimento de práticas que contribuíram para a problematização da autoria artística individual. E também, para a disseminação de um discurso não-hierárquico e mais colaborativo no mundo da arte contemporânea.</p> 2021-12-27T00:00:00+00:00 Direitos de Autor (c) 2021 Todas as Artes https://ojs.letras.up.pt/index.php/taa/article/view/11127 Adolescentes e jovens indígenas: participação política no Rio Negro 2021-12-22T17:44:27+00:00 Claudina Azevedo Maximiano todasartes.journal@gmail.com <p>O presente texto propõe uma reflexão inicial sobre o processo de participação política dos jovens indígenas no rio Negro, a partir da análise das iniciativas de mobilização/organização de um “novo sujeito político” no cenário do movimento indígena e do contexto social da referida região. O objetivo dessa reflexão é descrever o processo de articulação/mobilização de jovens indígenas na luta por espaços sociais de poder e apresentar, a partir desse contexto, o surgimento de um discurso em torno de um sujeito pluriétnico, autodenominado como “adolescentes e jovens indígenas”. Tal reflexão perpassa o contexto social do município de São Gabriel da Cachoeira, com destaque para Santa Isabel do Rio Negro, município localizado na região do Médio Rio Negro, campo em que se circunscreveu a pesquisa por meio da qual se construiu esta reflexão. A temática está ligada aos problemas sociais que envolvem os jovens indígenas e as iniciativas de organização, acrescida dos conflitos vivenciados por eles, ações classificadas como “marginais” e/ou a mobilização por políticas públicas específicas que acabam por se conectar e/ou se tangenciam no cotidiano.</p> 2021-12-27T00:00:00+00:00 Direitos de Autor (c) 2021 Todas as Artes https://ojs.letras.up.pt/index.php/taa/article/view/11128 Flores and ‘Tijeras’: a feminist revindication of Quechua and indigenous women through a fusion of Andean-trap music 2021-12-22T17:47:49+00:00 Priscila Alvarez-Cueva todasartes.journal@gmail.com Sofia Sousa todasartes.journal@gmail.com <p>This article explores the song ‘Tijeras’, by Renata Flores, with the aim of identifying how the narrative of the message is constructed in the song, what elements accompany the representation and how they dialogue. To do this, the authors carry out an in-depth reading (Buonanno, 1999) where they identify five areas that allow us to understand the song as a weapon of protest and vindication, not only of indigenous women but also of the quechua language. In doing so, the article discusses the fusion Renata Flores makes between the mountains, the street, and the musical genre, while promoting a feminist message of union to face gender violence. In addition, the authors discuss the difference in cosmopolitanism that the artist projects, which in turn vindicates the representation of the indigenous Quechua-speaking woman. In general, the results suggest that the song ‘Tijeras’ contributes to the oral and musical transmission of Quechua, while promoting revolutionary and feminist ideals that connect with young audiences, to encourage identification processes that contribute to the elimination of violence against women, in general, and minority groups such as the indigenous, in particular.</p> 2021-12-27T00:00:00+00:00 Direitos de Autor (c) 2021 Todas as Artes https://ojs.letras.up.pt/index.php/taa/article/view/11113 Capa 2021-12-22T16:44:17+00:00 Todas as Artes todasartes.journal@gmail.com <p>Capa Volume 4, Número 2</p> 2021-12-27T00:00:00+00:00 Direitos de Autor (c) 2021 Todas as Artes https://ojs.letras.up.pt/index.php/taa/article/view/11121 Summary 2021-12-22T17:10:16+00:00 Todas as Artes todasartes.journal@gmail.com <p>Summary</p> 2021-12-27T00:00:00+00:00 Direitos de Autor (c) 2021 Todas as Artes https://ojs.letras.up.pt/index.php/taa/article/view/11117 Parceristas 2020 2021-12-22T16:59:12+00:00 Todas as Artes todasartes.journal@gmail.com <p>Parceristas 2020</p> 2021-12-27T00:00:00+00:00 Direitos de Autor (c) 2021 Todas as Artes https://ojs.letras.up.pt/index.php/taa/article/view/11129 Simon Contra: etnografias de um jovem artista 2021-12-22T17:50:48+00:00 Henrique Grimaldi Figueredo todasartes.journal@gmail.com <p>Com uma mente complexa e falas atravessadas pela velocidade e pelo caos cultural que configuram o mundo visual contemporâneo, Simon Contra é um exímio exemplo de um jovem artista criando e circulando pelo campo da arte. Através dessa etnografia, uma conversa aberta e colaborativa onde as perguntas atuam mais como provocações que esperam recolher respostas apropriadas, buscamos prover um retrato impreciso da juventude criativa e de seus modos de enfrentamento no campo cultural. Orbitando entre a descrença no sistema da arte e a esperança de que os artistas e seus públicos possam galgar os verdadeiros termômetros de consagração, essa conversa com Contra torna-se elucidativa sobre o imaginário social e as estratégias de sobrevivência no acirrado espaço mercadológico e institucional da arte da atualidade.</p> 2021-12-27T00:00:00+00:00 Direitos de Autor (c) 2021 Todas as Artes https://ojs.letras.up.pt/index.php/taa/article/view/11114 Ficha Técnica 2021-12-22T16:49:53+00:00 Todas as Artes todasartes.journal@gmail.com <p>Ficha Técnica</p> 2021-12-27T00:00:00+00:00 Direitos de Autor (c) 2021 Todas as Artes https://ojs.letras.up.pt/index.php/taa/article/view/11122 Atmosferas, sons e sensibilidades 2021-12-22T17:14:43+00:00 Paula Guerra todasartes.journal@gmail.com Lígia Dabul todasartes.journal@gmail.com <p>Apresentação</p> 2021-12-27T00:00:00+00:00 Direitos de Autor (c) 2021 Todas as Artes https://ojs.letras.up.pt/index.php/taa/article/view/11120 Sumário 2021-12-22T17:05:40+00:00 Todas as Artes todasartes.journal@gmail.com <p>Sumário</p> 2021-12-27T00:00:00+00:00 Direitos de Autor (c) 2021 Todas as Artes https://ojs.letras.up.pt/index.php/taa/article/view/11115 Technical Sheet 2021-12-22T16:55:50+00:00 Todas as Artes todasartes.journal@gmail.com <p>Technical Sheet</p> 2021-12-27T00:00:00+00:00 Direitos de Autor (c) 2021 Todas as Artes