O jesuíta Manuel da Costa a contas com a Inquisição (1654-1655)

Autores

  • José Barreto

Resumo

Com base num processo da Inquisição de Lisboa até hoje
desconhecido da historiografia, são revelados novos elementos sobre o Pe. Manuel
da Costa, o jesuíta a quem modernamente é atribuída a autoria da obra seiscentista
Arte de Furtar. Na sequência de um auto da fé de 1654 em que foi executado
um rico mercador cristão-novo, o Pe. Manuel da Costa entrou em conflito com a
Inquisição por ter passado certidões a abonar a fé cristã do falecido. O inquérito
consequentemente instaurado pelos inquisidores fornece novas pistas para a
compreensão do valimento de Manuel da Costa junto da corte de D. João IV e
permite questionar o posicionamento do jesuíta sobre a Inquisição e o confisco
dos bens dos hereges em confronto com o elogio ao Santo Ofício contido na Arte
de Furtar.

Downloads

Publicado

2022-12-20