Pobreza e Caridade: As esmolas nos discursos e nas práticas da misericórdia do Porto, na época moderna

Autores

  • Inês Amorim
  • Sara Pinto

Resumo

RESUMO: A perceção de uma sociedade ideal (nos discursos) e real (nas
práticas) conduziu este texto, que abordou, por um lado, o discurso moral e,
por outro, as práticas de caridade, da relação entre Igreja e Estado e respetivas
responsabilidades (se conjuntas se em rotura), na distinção entre os bons e os maus pobres, da (i)legitimidade da esmola e da emergência do trabalho como valor libertador de desvios sociais. O balanço dos esforços da historiografia, na contagem e definição da relatividade da pobreza, problematizaram uma aproximação metodológica quantitativa e qualitativa a um estudo de caso. A Misericórdia do Porto tornou-se o observatório empírico daquela dualidade (ideal e real), através da análise do(s) sentido(s) da(s) esmola(s), em que tempo, serviço e devoção se apresentam como parâmetros comportamentais de cumprimento das Obras de Misericórdia. Provou-se que se trata de uma irmandade eclesial (laicos/eclesiásticos, sendo os últimos em maior número) que lembra a misericórdia como prática da caridade, face a face com o pobre, nas suas múltiplas dimensões (doença, viuvez, envergonhados, sem trabalho). Provou-se que havia uma estrutura organizativa, adaptada às transformações da pobreza, em que os discursos se silenciam em benefício das práticas, numa orientação do governo eficaz da pobreza. Observou-se a evolução quantitativa do peso das esmolas nas receitas da instituição (esmolas ordinárias e extraordinárias) e as suas dimensões qualitativas, na forma devocional
como se expressam.
PALAVRAS-CHAVE: Esmolas; Caridade; Serviço aos pobres; Misericórdia;

ABSTRACT: This paper was driven by the perception of an ideal (regarding
discourses) and real (regarding practices) society, approaching the moral discourse and the charity works, within the relations between Church and State, and their responsibilities in the distinction between the good and the bad poor, the (il) legitimacy of the alms, and the emergence of the value of work as a liberator of social deviations. The contributes of historiography for the measurement and relativity of poverty, frame a qualitative and quantitative methodological analysis. The Misericórdia of Porto is the empirical observatory for that dichotomy (ideal and real), through the analysis of the meanings of the alms, in which time, service and devotion present themselves as behavioral parameters of accomplishment of the Mercy works. We demonstrated the ecclesiastical character of the brotherhood (considering the high number of priests) that certifies a Misericórdia of charity work, face to face with the poor, in their multiple dimensions (illness, widowhood, shamefaced poverty, and unemployment). It has been proved that there was an organizational structure, adapted to poverty transformations, in which discourses are absent in favor of the practices, of an efficient governance of the poverty. We observed the numerical evolution of the alms and their weight in the general incomes of the institution (ordinary and extraordinary alms) and its qualitative dimensions, as devotional expressions.
KEY-WORDS: Alms; Charity; Service to the poor; Misericórdia; Porto.

Downloads

Publicado

2019-05-24