Consumo de espaços residenciais para além dos valores económicos

Autores

  • Maria Assunção Gato

Resumo

À semelhança de outros bens de consumo, o espaço residencial também pode ser compreendido enquanto objeto-mercadoria, passível de ser valorizado, consumido e usado enquanto elemento importante na identificação, diferenciação e negociação de pertenças sociais entre indivíduos e grupos. Com base numa análise comparativa entre dois espaços residenciais localizados em Lisboa –!Príncipe Real e Parque das Nações – este artigo visa explorar o consumo e a valorização dos espaços residenciais enquanto produtos socialmente produzidos e cujo valor vai para além da dimensão económica.

Downloads

Publicado

2017-03-30