Precarização e relações de sentido no espaço social do trabalho

Autores

  • José Madureira Pinto

Resumo

O presente artigo baseia-se nos pontos de vista e argumentos desenvolvidos pelo autor num debate académico em que também participou o sociólogo francês Serge Paugam. A primeira parte do texto refere-se às concepções de Paugam sobre as novas tendências de integração social em contextos de trabalho e discute, em particular, a distinção por ele proposta entre dois tipos de fundamentos da precarização social dos assalariados: os que estão ligados aos aspectos materiais e simbólicos do trabalho propriamente dito e os que remetem para direitos e níveis de protecção social garantidos pelo emprego. Defende-se a ideia de que, para dar conta, de modo realista e empiricamente sustentável, das especificidades, neste plano, de uma sociedade concreta - por exemplo, a sociedade portuguesa -, a distinção proposta por Paugam deve ser complemantada pelo estudo de vários traços, tais como: posição do aparelho produtivo nacional no sistema de relações económicas internacinais, particularidades do modelo de desenvolvimento do país, do seu sistema de emprego formal e informal, da natureza e amadurecimento do estado-providência, do padrão de relações industrais, das características das práticas organizacionais, etc.. A segunda parte do texto tenta demonstrar que a contribuição analítica de Paugam pode estimular uma pesquisa original e não essencialista sobre as dimensões simbólicas do trabalho nas sociedades contemporâneas. Sugere-se, a tal propósito, que, em formações sociais marcadas pela incerteza e pela insegurança de emprego, a construção das identidades profissionais, dos modos de dominação/subordinação nas organizações económicas, do mesmo modo que as formas mais elementares de mobilização das classes dominadas, terão entrado numa nova, e plausivelmente distinta, era social.

Downloads

Publicado

2017-05-17