A formação do habitus económico

Autores

  • Pierre Bourdieu

Resumo

Durante  a guerra  de libertação nacional,  a Argélia fornecia  uma situação quase laboratorial  para analisar  o desfasamento entre as disposições  económicas  formadas numa economia  pré-capitalista, imersa em relações de honra grupal, e o cosmos económico importado  e imposto pela colonização. A observação etnográfica  deste desfasamento revelou que em vez de serem naturais ou dados, os comportamentos económicos mais elementares (trabalho assalariado, poupança, crédito, controle de nascimentos, etc.) tem condições económicas  e sociais de possibilidade definidas que quer a teoria económica  quer a "nova sociologia económica" ignoram. Adquirir o espirito de cálculo  exigido  pela  moderna  economia  envolve  uma  verdadeira  conversão através da recusa das crenças incorporadas que subjazem à troca na sociedade  Cabila tradicional.  A 'economia espontânea' de um cozinheiro de Argel permite-nos  captar o sentido  pratico económico  que orienta a classe operária  argelina emergente  no limiar da independência do país.

Downloads

Publicado

2017-05-31

Como Citar

Bourdieu, P. (2017). A formação do habitus económico. Sociologia: Revista Da Faculdade De Letras Da Universidade Do Porto, 14. Obtido de https://ojs.letras.up.pt/index.php/Sociologia/article/view/2458