Entre o fazer etnográfico e o fazer psicanalítico: reflexões sobre a “escuta” da população sem-abrigo na rua de Cimo de Vila da Cidade do Porto

Autores

  • Julio Cesar Nicodemos
  • Lígia Ferro

Resumo

O presente artigo centra-se na discussão das articulações possíveis entre a metodologia etnográfica e a metodologia de pesquisa usada na clínica psicanalítica para a compreensão de territórios urbanos em que transitam indivíduos com consumos abusivos de álcool e de outras substâncias psicoativas ilícitas. Para esta construção teórico-prática, foram consideradas as experiências dos autores tanto no cuidado de consumidores de drogas a partir de estratégias de atenção psicossocial aplicadas no Brasil, como na investigação etnográfica em Portugal. Uma das principais conclusões colocadas à discussão, consiste na evidência de que a articulação de tais metodologias permite uma compreensão mais abrangente e aprofundada dos territórios urbanos, considerando simultaneamente os problemas de ordem coletiva e de ordem individual neles presentes.

Downloads

Publicado

2018-10-12