Fernão Peres de Trava e os seus Cavaleiros

Um Estudo sobre os Rituais da Investidura Cavaleiresca Atribuídos pelo Livro do Deão e pelo Livro de Linhagens do Conde D. Pedro

Autores

  • João Paulo Martins Ferreira

Resumo

Tal como vários membros do seu grupo familiar (Trava-Trastâmara-Palmeira-Tougues-Pereira), a personagem de Fernão Peres de Trava recebeu um tratamento laudatório em várias passagens dos nobiliários portugueses do século XIV (Livro do Deão e Livro de Linhagens do Conde D. Pedro) – muito por força da intervenção dos Pereira na escrita do Conde D. Pedro de Barcelos.
Com efeito, tanto em LD19A2 como em LL13B2, Fernão Peres é descrito como um cavaleiro exemplar e padrinho de investidura do conde D. Mendo, o Sousão, de Fernão Rodrigues de Castro e de D. Pedro Arazo de Aragão. Devido a uma falha na edição de
Herculano do Livro do Deão, onde se exclui a figura de D. Mendo desta passagem, nenhum filólogo ou historiador tirou as devidas interpretações sobre a natureza (real ou
ficcional) e importância discursiva destas passagens, dentro do contexto da escrita
genealógica medieval, ou relacionou-as com os primórdios da investidura cavaleiresca
no Ocidente Peninsular (durante os inícios do século XII).
Neste artigo, tentaremos analisar a falha na transmissão textual provocada por
Herculano, inscrever estas lições na retórica discursiva em torno dos primórdios da
investidura cavaleiresca e definir as aportações que podem trazer à verdadeira
expansão deste fenómeno.

Downloads

Publicado

2022-09-06

Como Citar

Ferreira, J. P. M. . (2022). Fernão Peres de Trava e os seus Cavaleiros: Um Estudo sobre os Rituais da Investidura Cavaleiresca Atribuídos pelo Livro do Deão e pelo Livro de Linhagens do Conde D. Pedro. Guarecer. Revista Eletrónica De Estudos Medievais, (5). Obtido de https://ojs.letras.up.pt/index.php/gua/article/view/11954