DADOS ABERTOS E CIÊNCIA CIDADÃ EM INSTITUIÇÕES DE MEMÓRIA

Autores

  • Ana Margarida Dias da Silva Universidade de Coimbra - Faculdade de Letras / CITCEM http://orcid.org/0000-0003-1247-8346
  • Leonor Calvão Borges Universidade de Coimbra - Faculdade de Letras / CITCEM
  • Luísa Alvim Universidade de Évora / CIDEHUS

Resumo

O movimento da ciência aberta, fundamentado nas declarações de Budapeste (2002), Bethesda (2003) e Berlim (2003), e alinhado com os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável, definidos pela ONU em 2015, visa o acesso à literatura científica através da disponibilização livre e generalizada de dados científicos na WWW. Nas instituições de memória a disponibilização de conteúdos em acesso aberto visa a ligação com os utilizadores, numa nova forma de relacionamento beneficiada pela utilização das plataformas da Web 2.0 e projetos de ciência cidadã. O objetivo deste artigo é identificar e mapear as tendências de dados abertos e projetos de ciência cidadã no Arquivo, Biblioteca e Museu Nacionais e verificar se estão (ou não) alinhadas com suas contrapartes estrangeiras. Conclui-se pela tendência ainda incipiente, mas crescente, em Portugal, o que pode ser parcialmente explicado pelo fato dos serviços de coordenação destas áreas não promoverem projetos na web 2.0.

Palavras-chave: Acesso aberto; Ciência aberta; Conteúdos gerados pelo utilizador; Participação cidadã.

Biografia Autor

Ana Margarida Dias da Silva, Universidade de Coimbra - Faculdade de Letras / CITCEM

Natural de Coimbra. Técnica superior na Universidade de Coimbra.
Licenciada em História, variante de História da Arte, Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra.
Curso de Especialização em Ciências Documentais, ramo Arquivo, Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra.
Mestre em História Contemporânea, Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra.
Mestre em Ciências da Informação e Documentação – Área de Especialização em Arquivística (FCSH-UNL)
Aluna do Doutoramento em Ciência da Informação da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra.
O seu trabalho "O uso da Internet e da Web 2.0 na difusão e acesso à informação arquivística: o caso dos arquivos municipais portugueses" ganhou o 1º prémio Olga Gallego de Investigacion en Archivos 2015.

Downloads

Publicado

2021-07-03

Edição

Secção

PECHA KUCHA - CONFOA