POLÍTICAS DE AUTOARQUIVAMENTO EM REPOSITÓRIOS INSTITUCIONAIS BRASILEIROS: estudo analítico do metadado assunto

Autores

  • Marina Penteado de Freitas Universidade Federal de São Carlos (UFSCar)
  • Paula Regina Dal'Evedove Universidade Federal de São Carlos (UFSCar)
  • Roberta Cristina Dal'Evedove Tartarotti Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP)

Resumo

Este estudo tem como objetivo analisar as políticas de autoarquivamento registradas pelos repositórios institucionais brasileiros, com destaque para as diretrizes estabelecidas para a representação de assunto. Para tanto, realizou-se pesquisa exploratória-descritiva, a fim de obter o atual cenário sobre a situação do autoarquivamento em repositórios institucionais brasileiros. Constata-se que a maioria dos 108 repositórios institucionais brasileiros listados no Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (IBICT) não possui uma política de autoarquivamento que contemple a representação de assunto. As sete políticas identificadas revelam que apenas uma possui indicações explícitas sobre a qualidade dos metadados, enquanto as demais sinalizam a preocupação em seguir os padrões de metadados nacionais e internacionais, ou com algum tipo de validação antes do depósito, porém sem menção ao metadado assunto.

Palavras-chave: Autoarquivamento; Metadado assunto; Políticas de autoarquivamento; Repositórios institucionais.

Biografia Autor

Paula Regina Dal'Evedove, Universidade Federal de São Carlos (UFSCar)

Docente do Departamento de Ciência da Informação e do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação.

Downloads

Publicado

2021-07-03

Edição

Secção

PECHA KUCHA - CONFOA