Repensar a cultura DIY num contexto pós-industrial e global

Autores

  • Andy Bennett
  • Paula Guerra
  • Ana Sofia Oliveira ISCTE - IUL, DINÂMIA'CET - IUL; IS-UP

Resumo

A partir de meados da década de 1970, a noção de cultura do-it-yourself (DIY) evoluiu de um ethos de resistência à indústria da música mainstream, centrado no punk, para uma estética mais amplamente endossada que sustenta uma vasta esfera de produção cultural alternativa. Embora não evitando preocupações contra-hegemónicas, esta transformação do DIY no que razoavelmente se poderia chamar uma "cultura alternativa" global também o viu evoluir para um nível de profissionalismo que visa assegurar a sustentabilidade cultural e, sempre que possível, económica.  Este artigo examina a longevidade da estética cultural DIY e a sua evolução num contexto global, considerando como esse crescimento exponencial nas práticas DIY coloca novas questões sobre a natureza e prevalência da estética DIY, interrogando se é necessário reposicioná-la como um aspeto cada vez mais central da vida urbana contemporânea.

Downloads

Publicado

2021-12-22 — Atualizado em 2021-12-27

Versões

Edição

Secção

Artigos