GRAFFITI, MIGRACÃO E DECOLONIALIDADE: REFLEXÕES SOBRE A “PRETOGALIDADE DE SER”

Autores

  • Maria da Graça Luderitz Hoefel
  • Denise Osório
  • Paula Guerra

Palavras-chave:

graffiti; ativismo; migração; decolonialidade.

Resumo

Este artigo procura analisar o graffiti intitulado Pretogalidade de ser (2022), de autoria da artista Moami, a partir de sua experiência artística e de vida, a fim de refletir sobre as relações entre o graffiti, a migração e a colonialidade no contexto português. Trata-se uma pesquisa qualitativa, com método misto, composto por pesquisa-ação, netnografia e história oral. A obra Pretogalidade de ser (e a trajetória da artista) parece revelar as ambivalências do mundo globalizado e seu próprio modo de existência, que reconhece a perpetuação das colonialidades, mas simultaneamente também afirma sua pertença ao país colonizador e aos valores da modernidade. Assim, a reflexão sobre a obra de Moami sinaliza muitas aproximações com a complexidade da contemporaneidade, caracterizada pelos fluxos, pela transitoriedade e inconstância.

Downloads

Publicado

2024-05-16

Edição

Secção

Artigos