A Comunicação na Embrapa: do difusionismo à comunicação como inteligência organizacional

Wilson Corrêa da Fonseca Júnior, Edilson Pepino Fragalle, Edilson Pepino Fragalle, Heloiza Dias da Silva, Heloiza Dias da Silva, Roberto de Camargo Penteado Filho, Roberto de Camargo Penteado Filho

Resumo


Este trabalho objetiva apresentar um breve histórico sobre experiência da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária – Embrapa na área da Comunicação, em estreita sintonia com os ambientes político, social e econômico do Brasil. Trata-se de uma trajetória que se inicia em 1973, quando a criação da Empresa foi induzida pelo governo militar, visando o aumento da produção agrícola do país, e chega até os dias atuais, com o processo de redemocratização do Brasil e a inserção da Embrapa no mundo globalizado. Esse contexto vem condicionando os conceitos e as práticas de comunicação da Empresa, que vão desde o difusionismo, nas primeiras décadas de sua existência, passando pela criação de sua política de comunicação na década de 1990, até o momento atual, que requer da Embrapa uma comunicação glocal, ou seja, ao mesmo tempo global e local, amparada por um sistema de inteligência organizacional.

Texto Completo:

PDF

Apontadores

  • Não há apontadores.




Copyright © 2005 | CIC.DIGITAL-Porto | PRISMA.COM | ISSN 1646-3153  | DOI 10.21747/16463153 | Contacto: prisma.com@letras.up.pt 

 

  

Lista da Revistas