Uso do Second Life em Comunidade de Prática de Programação

Micaela Esteves, Benjamim Fonseca, Leonel Morgado, Paulo Marti

Resumo


Neste artigo apresenta-se uma nova abordagem para o ensino e aprendizagem da programação, no ambiente virtual Second Life, no qual foi criado uma comunidade de prática de programação. Propôs-se aos nossos alunos a realização de projectos de programação inseridos nesta comunidade, utilizando a linguagem de scripting Linden Scripting Language (LSL) do Second Life, como forma alternativa de aprendizagem. Aprender a programar é um processo difícil e ser um bom programador exige vários tipos de aptidões. A generalidade dos alunos quando começa a estudar programação sente muitas dificuldades, resultando num elevado índice de reprovações às disciplinas de programação. Neste artigo, dá-se conta de até que ponto este ambiente virtual permitiu motivar e despertar nos alunos o interesse pela aprendizagem da programação, contrariamente ao que acontece no ensino tradicional. Apresenta-se ainda alguns aspectos das observações realizadas, em termos das dificuldades sentidas por parte dos alunos e docentes, no desenvolvimento dos projectos, quer no acompanhamento das actividades.

Texto Completo:

PDF

Apontadores

  • Não há apontadores.




Copyright © 2005 | CIC.DIGITAL-Porto | PRISMA.COM | ISSN 1646-3153  | DOI 10.21747/16463153 | Contacto: prisma.com@letras.up.pt 

 

  

Lista da Revistas