WhatsApp e o contexto discursivo como prova de violência contra a Mulher

Authors

Abstract

In Brazil, the ‘Maria da Penha’ law (Law 11.340, of August 7, 2006) is concerned with the crime of feminicide and it creates mechanisms to protect wo- men who are victims of psychological and/or physical violence. Despite this law, the number of femicides increases daily. In 2015, the Map of Violence estimated the number of femicides at 4.8% per 100,000 women – one murder every 90 minutes and 5 beatings every 2 minutes – which placed Brazil in fifth place. The document showed that we had with the rise of the extreme right spreading patriarchal and sexist propaganda, a 30% increase in acts of violence against women is expected. However, states of violence and psychological violence caused by abusive relati- onships are not counted in these data. Within social media, there are countless semioses that denounce violence and abuse, which could be used as evidence in court, and even to prevent deaths. This article analyzes discursive stylistic marks present in WhatsApp messages exchanged between a victim of femicide and her best female friend – that indicate a state of violence, possible physical and psy- chological violence – in a case which had wide national repercussion. We use Discourse Analysis applied in a forensic linguistics context to discuss the crime of homicide, using as theoretical support van Dijk (2012), Charaudeau (2001), Cano (2012), and Sousa Silva and Coulthard (2016). The analysis raises interesting lin- guistic issues such as the concepts of “context” that evidence constant situations of state of violence within the interaction process.

Author Biography

Rosangela Aparecida Ribeiro Carreira, UFG - Universidade Federal de Goiás

Possui graduação em Letras - Português/Espanhol pela Universidade de São Paulo (1997), mestrado e doutorado em Língua Portuguesa pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (2015), MBA em Gestão e Inovação em EaD pela USP . Atualmente, é professora efetiva de Leitura e Produção de Textos da UFG (Universidade Federal de Goiânia), é colaboradora da Avalia Educacional/Ed. Moderna que compreendem composição de itens avaliativos, correção de redações e coordenação de corretores de exames de larga escala, bem como, formação de professores em diferentes regiões do país, professora de espanhol colaboradora da COGEAE e corretora de processos avaliativos nacionais e privados. É professora convidada para o ensino de Metodologia Científica no curso de Pós- graduação em Psicomotricidade do ISPEGAE/SP. Também tem experiência na elaboração de projetos educacionais presenciais e EaD nas plataformas blackboard e moodle em instituições educacionais e corporativas, com ênfase em códigos e linguagens e escrita de materiais, atuando principalmente nos seguintes temas:dinâmicas de planejamento, ensino de língua estrangeira (espanhol), leitura e produção de textos, linguagem jurídica, discurso pedagógico, português para fins específicos e projetos educacionais. Faz parte dos seguintes grupos de pesquisa da PUC/SP: Memória e Cultura na Língua Portuguesa escrita no Brasil sob a liderança do Prof. Dr. Jarbas Vargas Nascimento e GELEP (Grupo de Estudos de Linguagem para o Ensino do Português) liderado pela Prof. Dra. Anna Maria Marques Cintra. Suas pesquisas são pautadas na Análise de Discurso de linha francesa com foco no discurso na negritude em literatura afro-brasileira e em projetos de Leitura e Produção de Texto.

Downloads

Published

03.01.2022

How to Cite

Ribeiro Carreira, R. A. (2022). WhatsApp e o contexto discursivo como prova de violência contra a Mulher. Language and Law / Linguagem E Direito, 8(2). Retrieved from https://ojs.letras.up.pt/index.php/LLLD/article/view/6830