Arte e Loucura. O Ion de Platão e a inspiração poética

Autores

  • José Colen CESPRA

DOI:

https://doi.org/10.21747/631

Resumo

Resumo
O Ion é um diálogo platónico que apesar do seu modesto papel no corpus, foi objecto de abundante exegese. Alguns procuram nele a semente de uma noção de arte não técnica, análoga à concepção romântica do génio artístico. Mas a maioria dos académicos considera-o um trabalho filosófico menor, composto no período inicial da obra de Platão, ou mesmo um trabalho do autor numa fase em que não se distinguiria ainda entre os outros «socráticos menores». Nenhuma atenção mereceria sequer, se não ajudasse a esclarecer a paradoxal relação entre a filosofia platónica e a poesia. Este artigo inclui, com uma introdução que apresenta o estado da questão acerca da autenticidade e data, um ensaio interpretativo e uma nova tradução para português deste diálogo menosprezado, que sublinha a dimensão irónica do diálogo entre Sócrates e Ion, o intérprete da poesia.
Palavras-chave: Ion, poesia, inspiração, technê.
Autor: Platão.

Abstract
Plato’s Ion, despite its modest status in the corpus, was the object of numerous and large exegetical claims. Some read in it the seeds of «art» as non-technical, and trace to it the Romantic conception of the artist genius. Most however assume that is philosophically a juvenile minor work, in the way to the Symposium, written when Plato was no different from other minor Socratics. Its sole interest would be to help establishing the problematic relation between platonic philosophy and poetry. In this paper we present with a new Portuguese translation, a brief introduction that underlines the ironic dimension of the debate between Socrates and Ion.
Key-words: Ion, poetry, inspiration, technê.
Author: Plato.

Downloads

Publicado

2015-07-06

Edição

Secção

Estudos