Media intergenerational cooperation/conflict

Ana Melro, Lídia Oliveira da Silva

Resumo


Desde a sua apropriação, passando pela objetivação, incorporação e, finalmente, pela conversão (Silverstone, et al., 1992, pp. 47-52), são variadas as formas como os indivíduos pertencentes às diferentes gerações (nascidos em 1950, 1970 e 1990) eliminam as barreiras à utilização dos novos media. Rivoltella (2010a) apelida mesmo os jovens de geração de ecrã (2010a, p. 6). Quanto ao público sénior, Salovaara (2010), refere que há várias situações que os iniciam na procura dos meios de comunicação e informação (2010, pp. 803- 804). Mas será que há verdadeiras diferenças? Mas quais serão as dinâmicas de utilização dos novos media em três gerações distintas? No presente artigo, analisam-se os resultados dos focus groups realizados, no final do ano de 2011, a membros das três gerações sobre a utilização dos novos media (televisão, computador e telemóvel), tanto através da reunião de indivíduos da mesma geração (multigeracionalidade), como da interação de membros das diferentes gerações (intergeracionalidade) (Villar, 2007, p. 115-116).

Texto Completo:

PDF

Apontadores

  • Não há apontadores.




Copyright © 2005 | CITCEM – Centro de Investigação Transdisciplinar Cultura, Espaço e Memória | PRISMA.COM | ISSN 1646-3153  | DOI 10.21747/16463153 | Contacto: prisma.com@letras.up.pt 

  

Lista da Revistas