Todas as Artes

Revista Luso-Brasileira de Artes e Cultura: Inspirados por José Saramago, intentamos a efetivação da Revista “Todas as Artes como matriz e espaço de conhecimento, de investigação e de celebração das artes numa perspetiva da sociologia e dos estudos culturais. As artes impõem-se, cada vez mais, como referentes emblemáticos da contemporaneidade, fazendo-nos lembrar que Kant, na sua Estética, considerava já que os sentidos das artes dependiam da existência plural dos homens. Assim, diante das tensões engendradas por singulares crises econômicas, por conflitos de natureza cultural, étnica e religiosa, dos limites entre fronteiras, das reiteradas diásporas que compõem distâncias e aproximações, tem sido a arte quem condensa e acolhe as pluralidades que Appadurai denominou de “mundos imaginados”. Pode, assim, afirmar-se que os contextos múltiplos de crise têm fomentado em todo mundo estratégias singulares de resistência, formação de coletivos que apontam para a composição de originais paisagens de artes e de criatividade. Observa-se que as artes têm atuado, também, como exemplares dispositivos que têm permitido agenciar emergentes modelos de colaboração e de parcerias, de fazer circular de modo horizontal múltiplas plataformas de criatividade e diversidades estilísticas. Observa-se que fora dos ruídos advindos da normativa da política, dos tumultos das crises e ações de terror, a arte tem mobilizado espaços de mútua contaminação criativa e, no âmbito da conflitualidade, tem constituído novos planos de linguagem e a profusão de signos culturais e sociais sob novos códigos. Enfim, a arte tem não só uma natureza social, como produz efeitos sociais e engendra discursos acerca do social. Esta revista centra-se na apresentação/discussão de trabalhos que investiguem e divulguem todas as artes lusófonas na matriz das ciências sociais, da sociologia e dos estudos culturais. Os espaços, os lugares, as fronteiras, os atores, as temáticas de todas as artes (música, artes performativas, pintura, arquitetura, escultura, literatura, poesia, cinema, fotografia, vídeo, artes digitais, instalação, design, ilustração, pixação, design, arquitetura, graffiti, programação, edição, comics …) são a sua pedra de toque.