Trajetórias de vida. Nascer nos Açores no século XVIII.

Abordagem demográfica

Autores

  • Maria Norberta Amorim

Resumo

A investigação demográfica sobre o século XVIII reveste-se em Portugal de grandes dificuldades, principalmente pelo sub-registo de óbitos de menores de 7 anos. No caso de registo sistemático dos eventos paroquiais, o acompanhamento de trajetórias de vida em espaços e períodos definidos permite-nos a aproximação mais conseguida ao jogo das variáveis demográficas e compreensão dos seus efeitos no crescimento das populações. Os Açores, pela diversidade de comportamentos, mesmo entre ilhas próximas, constituem um extraordinário laboratório de análise para o historiador demógrafo. Num quadro de fecundidade próxima da natural, importantes comportamentos compensatórios a uma esperança de vida elevada, como a emigração e idades elevadas ao primeiro casamento, ou mesmo gravosas mortalidades de crise, podem não ser suficientes entraves ao crescimento.

Downloads

Publicado

2022-01-17

Edição

Secção

Artigos