Chamada de artigos 2024 1.º Semestre

HISTÓRIA – REVISTA DA FLUP - NÚMERO 14 – 1º SEMESTRE, IV SÉRIE, 2024

Dossiê temático: “Educação e Democracia: histórias e memórias dos últimos 50 anos”

Call for papers aberto até 15 de fevereiro de 2024

Editores:

Luís Grosso Correia
Universidade do Porto, Faculdade de Letras e CIIE, Portugal

Amélia Lopes
Universidade do Porto, Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação e CIIE, Portugal

Luciano Mendes Faria Filho
Universidade Federal de Minas Gerais, Faculdade de Educação, Brasil

 

Call for papers

No cinquentenário da Revolução dos Cravos ou Revolução do 25 de Abril (de 1974) em Portugal, a História: Revista da FLUP dedicará um dossiê especial à temática Educação e Democracia: histórias e memórias dos últimos 50 anos. Este dossiê acolherá estudos em perspetiva histórica que, mobilizando as diversas fontes (escritas, orais, materiais e iconográficas), contribuam para o mapeamento dos diversos movimentos pela afirmação e prática da liberdade e da democracia em contextos educativos e pedagógicos em diferentes espaços/territórios e tempos à volta do mundo.

O sentido da liberdade aqui defendido é o da sua conquista, manutenção e aprofundamento segundo uma vivência sociopolítica fundada no primado do Estado de direito democrático, mas que se efetiva em práticas institucionais e interpessoais democráticas. O conceito de educação, seja esta desenvolvida de modo formal, não-formal e/ou informal, que aqui interessa publicar, deverá ser orientado pelos princípios da autodeterminação, da liberdade, da equidade e da emancipação segundo uma perspetiva antropológica, pedagógica, institucional, societal e/ou epistemológica. Interessa-nos, assim, abordar as temáticas da educação em democracia e para a democracia, não colocando de lado estudos que se debrucem sobre a educação em sociedades ou regimes não democráticos.

No caso português, a conquista da liberdade política, em 1974, e o seu aprofundamento através do subsequente período democrático inscrevem-se na longa duração. Este processo resulta da ação comprometida de diferentes atores e dinâmicas em tempos e espaços plurais, cuja história e memória importa resgatar segundo a metodologia da produção de conhecimento própria das ciências sociais e humanas, onde se incluem os estudos histórico-educativos.

Os debates e lutas pela liberdade, equidade e emancipação em educação também foram interpretados em diversos contextos políticos, culturais, sociais, profissionais, organizacionais, geracionais e de práticas quotidianas, sejam de abrangência local, nacional ou internacional. Desde as políticas públicas de educação até às campanhas de educação de adultos, passando pela qualificação profissional de educadores e professores, expansão da rede escolar (da educação pré-escolar até ao ensino superior, dos espaços urbanos até aos territórios rurais), extensão da escolaridade obrigatória, diversificação da oferta escolar e reformas educativas, políticas de inclusão e justiça sociais, novos  e velhos temas e desafios (igualdades de género, racial, LGTQIA+ ou educação sexual, por exemplo), inovação pedagógica, gestão e avaliação das organizações escolares, afirmação das tecnologias de informação e comunicação de base eletrónica (da TV educativa ao e-learning), implementação do serviço público de educação em territórios libertados ou de países descolonizados, a agenda e estudos de organizações internacionais (ONU, UNESCO, OCDE, Comissão Europeia), entre outros, poderão ser alguns dos eixos das investigações que ora são convocadas para o presente dossiê temático da História: Revista da FLUP.

Instruções para submissão de artigos