Polifonia na Comédia Stand-up Portuguesa:

Uma abordagem Sócio-Discursiva para a Construção da Identidade

Autores

  • Milana A. Morozova

Resumo

O presente artigo visa analisar alguns mecanismos linguísticos que contribuem para a construção de identidade. Privilegiando uma abordagem interacionista sócio-discursiva, o objetivo é descobrir até que ponto a polifonia (Bakhtin, 1981) e, mais especificamente, a distribuição de vozes através dos pronomes pessoais no discurso contribuem para a construção de identidade do comediante no género ainda pouco explorado stand-up comedy em português. Numa perspetiva franco-suíça (Bronckart, 2012), o termo “vozes enunciativas” remete para os mecanismos que contribuem para o estabelecimento de coerência pragmática (ou interativa) do texto. Este artigo demonstra como um comediante cria diferentes identidades no discurso, alternando entre as vozes do autor empírico, as vozes sociais e as vozes das personagens. Em particular, a análise textual demonstra a forma como as alterações de pronomes pessoais (nomeadamente, eu e nós) são utilizadas como estratégia não apenas para produzir um efeito humorístico mas também para exibir dinamicamente aspetos da identidade do comediante. Os comediantes podem “apagar” ou distanciar-se de suas identidades individuais, identificando-se com a voz social. Assumindo a responsabilidade, eles visam enfatizar sua própria identidade individual em oposição à voz social, zombando frequentemente de princípios e ordens sociais. O domínio raramente investigado de stand-up comedy fornece dados originais para a análise da identidade do comediante e da maneira como ele é retratado no discurso.

Downloads

Publicado

2021-11-02